GANHAR ALMAS, É IMPORTANTE PARA VOCÊ?

junho 24, 2009 § 1 comentário

dp1822971A história da igreja sempre oscilou entre a glória e a mediocridade. Avivamentos extraordinários, com uma intensa operação do Espírito Santo, gerados na força e determinação de uns poucos que ousaram investir mais tempo em oração, impulsionou o ministério cristão na direção de ganhar almas. Por outro lado, períodos de enorme apatia e insensibilidade para com os que ainda não haviam sido alcançados pelo Evangelho do Reino de Deus e suas realidades, opunham-se ao crescimento e expansão da mensagem de reconciliação da Nova Aliança. Glória e mediocridade são as únicas realidades a serem pontuadas quando fazemos a leitura da história da operação da Igreja de Cristo, desde o advento do Pentecostes registrado em Atos capítulo 2. Mas, há quem advogue a ideia de que na maior parte do tempo, o pêndulo da história cristã permanece parado entre os extremos, num estado mediano, de mornidão absoluta.

Vamos entender que crescimento por crescimento não quer dizer nada. No Brasil, o movimento evangélico cresce na mesma proporção de outras seitas satélites. Aqui, a máxima de Pero Vaz Caminha também se aplica ao campo da religião: Nesta terra, em se plantando tudo dá. Este é um fato que deve nos fazer bem mais criteriosos, mas não menos fervorosos para com o nosso chamado e missão suprema. Anunciar as virtudes daquele que nos tirou das trevas para a luz continua a ser a nossa eterna tarefa.

Detalhes à parte, ganhar almas, fazer discípulos, mover-se em ação missionária, proclamar o Evangelho do Reino são expressões sinônimas e originárias de uma mesma matriz: Ide e fazei… Em outras palavras, organizadamente ou naturalmente, ganhar almas é uma tarefa que precisa ser encarada como um indicador da glória ou da mediocridade. Estar vivo ou morto para Deus não diz respeito a estar ou não disposto ao exercício religioso cristão, mesmo porque, adoração, culto a Deus, só faz sentido quando os eternos propósitos do Criador tornam-se os propósitos da criatura. Lembre-se das palavras de Jesus: Por que me chamais de Senhor e não fazeis o que eu vos mando?

Nossos esforços, recursos financeiros, dons, talentos e habilidades, devem ser colocados sobre o altar de Cristo para que Seu eterno propósito seja alcançado – que este evangelho do Reino seja pregado para testemunho de todas as nações. Todo e qualquer outro rumo que venhamos a querer dar à Igreja, por mais importante que nos possa parecer, é puro desperdício. Você se importa em ganhar almas? Importa se está pavimentando uma estrada para a glória de Deus?

A história da Igreja nessa geração terá de ser escrita por mim e por todos que se chamam pelo nome do Senhor. Poderemos ser reconhecidos no futuro como uma geração despertada para com os desafios evangelísticos relacionados à ela, ou como uma geração de cristãos insensível aos famintos de Deus e de pão. Poderemos passar para a história como uma geração empreendedora que conseguia manipular com maestria as técnicas de marketing e de levantamento de fundos ou uma geração sensível à Deus e às Suas criaturas. Tudo dependerá da resposta que dermos à pergunta: GANHAR ALMAS, É IMPORTANTE PARA MIM?

Anúncios

Onde estou?

Você está navegando em publicações marcadas com evangelismo em Pastoreando com o coração.