Divisões, rompimentos e separações

julho 13, 2010 § 4 Comentários


Podemos enfeitar o discurso como quisermos; utilizarmos os mais conhecidos chavões e clichês da pueril espiritualidade de corredor; justificarmos como quisermos; mas, a separação, a divisão, a despedida dos que já se abraçaram e partiram o pão juntos, é muito difícil de ser contextualizada ao conteúdo dos Evangelhos. É óbvio que eu sei que existe uma infinidade de fatos a ser considerada, detalhes que não podem ser esquecidos e atitudes que não devem ser deixadas de lado, entendo. Mas, a força da fé cristã não está em fluir com o óbvio e sim em contraria-lo. Expressões como “andar a segunda milha”, “oferecer a outra face”, “perdoar setenta vezes sete”, lembram-nos que o óbvio foi sempre questionado por Jesus.

A lei lidava com o naturalmente esperável e o previa: olho por olho; dente por dente; mão por mão; pé por pé… O “eu porém vos digo” do Evangelho, não foi apenas a releitura da Lei, mas a declaração divina de que a Nova Aliança é um desafio a ir além do “perfeitamente-previsível”. Assim, estar em aliança com Cristo e celebrar isto partindo o pão em Seu nome, vai exigir que eu chore sempre nas despedidas; que eu repita sempre que não entendo divisões; que me sinta movido a dar a outra face; que não reaja diante dos mais cruéis, perversos e injustos julgamentos humanos…

Mas, o que fazer para evitarmos rompimentos e permanecermos juntos, em torno de Cristo e do propósito de espalhar a mensagem da salvação? Sugiro que façamos um pacto pessoal e congregacional, uma espécie de declaração de propósito baseada nos seguintes tópicos:

1. Prometo diante de Deus e dos homens a não querer absolutamente nada exceto buscar incessantemente a Glória de Cristo.

2. Prometo amar incondicionalmente aos que comigo compartilham do partir do pão;

3. Prometo nada querer a não ser servir, cingindo-me sempre da toalha e do cântaro;

4. Prometo jamais suspeitar ou falar mal de alguém;

5. Prometo que sempre que tiver dúvidas sobre o caráter de alguém, terei a coragem de esclarecer tudo pessoalmente;

6. Prometo não compartilhar com ninguém o que ouvir sob fiel confissão;

7. Prometo não trair a confiança de ninguém, usando o que sei para dominar, controlar ou dirigir o outro;

8. Prometo amar, mesmo quando esta decisão gerar transtornos no corpo, na alma e no espírito;

9. Prometo construir conexões e relacionamentos efetivos com todos, mesmo com os que julgar não merecer;

10. Prometo daqui para frente, tomar a ceia com um maior discernimento do Corpo de Cristo, pois “quem come e bebe sem discernir o Corpo, come e bebe juízo para si”.

Não quero polemizar, mas talvez nossa fragilidade evangelística e devocional, esteja relacionada a um discernimento pobre do corpo de Cristo; pior, talvez tudo isto seja sinal do juízo que o texto de 1 Co 11 aponta.

Entenda estas linhas como uma simples provocação à reflexão!

O soneto abaixo é um presente de Jerónimo Baía, português, cristão, que viveu no século XVII. Leia com atenção! Desfrute! Aproveite!

Com amor e carinho,

Pr. Weber

Jerónimo Baía (Portugal 1620/30-1688)

Falando com Deus

Só vos conhece, amor, quem se conhece;
Só vos entende bem quem bem se entende;
Só quem se ofende a si, não vos ofende,
E só vos pode amar quem se aborrece.

Só quem se mortifica em vós floresce;
Só é senhor de si quem se vos rende;
Só sabe pretender quem vos pretende,
E só sobe por vós quem por vós desce.

Quem tudo por vós perde, tudo ganha,
Pois tudo quanto há, tudo em vós cabe.
Ditoso quem no vosso amor se inflama,

Pois faz troca tão alta e tão estranha.
Mas só vos pode amar o que vos sabe,
Só vos pode saber o que vos ama.

Anúncios

§ 4 Respostas para Divisões, rompimentos e separações

  • Jose Matias disse:

    Alô pastor Chagas concordo plenamente com estas promessas, pois endentifico-me com elas, no entanto fico apreensivo com promessas que nós sugeitos ao pecado fazemos e podemos falhar, não será melhor dizer-mos com a ajuda de Deus tentaremos compri-las;, na realidade,estas promessas, estão em concordancia, com os propositos do nosso Deus em nös. Seria melhor dizer-mos, que encontramos em nös esse desejo santo. Vamos pois glorificar a Deus nessa parte.

    • weberchagas disse:

      Estimado irmão!

      Uma das principais características dos seres humanos nos dias finais, segundo Paulo escreveu à Timóteo, é que seriam “INFIÉIS NOS CONTRATOS”, ou seja, gente que não conseguiria sustentar alianças. Não há qualquer problema em se firmar uma aliança e vir, por conta da fraqueza que opera nos nossos membros, tropeçarmos em algum artigo. Pois, o mesmo testemunho que nos levou a firmar o tal pacto, também nos conduzirá ao arrependimento, a confissão e ao perdão. Logo, não precisamos ter medo de dizer: EU PROMETO!

      Tudo que realizamos, dizemos ou cremos, não o fazemos por conta de qualquer habilidade nossa; foi, é e será sempre pela graça. Mas, temo o receio de fugirmos de pactos que nos chamem a um procedimento que Deus requer dos seus filhos e da igreja. Penso que se não chamarmos os filhos de Deus à seriedade da aliança abraçada, continuaremos administrando o caos dentro das nossas comunidades, que aliás há de tudo, menos consciência de aliança.

      Abraços saudosos

      Pr. Weber Chagas

  • Jose Matias disse:

    Gostei, desta exposição, é verdade, mas o receio de não cumprimento, me dá tristeza quando andamos sempre tropeçando, quando me lembro de tantas, falhas cometidas no passado, palavras ditas ao vento, atitudes precipitadas, pois o meu desejo sempre será em guardar a aliança, pois esse é o nosso tesouro escondido. Os tempos são deveras trabalhosos, meu estimado agora que comecei a pesquizar o internete, eu vou lhe dizer, tenho obeservado tanto lixo nos meios ditos cristão, muitas delas que eu estava longe de acreditar. A conclusão que chego é que o nosso Deus tem um povo a que ele chama de vasos de honra. Bem haja pois pelas letras enviadas.A benção de jesus.

    • weberchagas disse:

      O lixo que o irmão constatou na INTERNET não é diferente daqueles que os apóstolos constataram no seu tempo. Deus lhe dará discernimento para discernir entre o precioso e o vil. Nem tampouco é CRISTÃO, na verdade é o espírito do anticristo em plena operação, pois o que ensinam, pregam e vivem na prática vão na direção oposta do Evangelho, logo não vem de Cristo.

      Sossegue o coração; busque a Deus com toda força do seu entendimento; esforce-se para anunciar o Evangelho e sê fiel até a morte. Quanto ao resto, deixe onde está, pois se o Senhor não achou que o joio deveria ser arrancado, quem somos nós para o fazer.

      Amplexos cristãos!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

O que é isso?

Você está lendo no momento Divisões, rompimentos e separações no Pastoreando com o coração.

Meta

%d blogueiros gostam disto: